Road Trip pelo Norte da Itália – Grandes Aventuras no País da Bota

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Minha última grande viagem foi uma road trip pelo norte da Itália. Planejei conhecer algumas regiões, como a Toscana, Piemonte, Lombardia e Emilia Romagna, passando por pontos-chave de cada uma delas. 

Segundo o dicionário de Cambridge, uma road trip pode ser definida como uma viagem feita pelas rodovias de algum lugar, seja a trabalho ou por turismo. E foi assim que tudo aconteceu: grandes aventuras vividas dentro de um carro, percorrendo as autopistas italianas e experimentando sentimentos incríveis. 

Neste post você terá um resumo das principais atrações que conheci, mas fique atento aos próximos, pois darei mais detalhes da minha experiência. 

Alugando um carro na Itália

Precisei alugar um carro para fazer os trajetos da road trip na Itália. Ao contrário do que muitos imaginam, alugar um carro na Itália é muito simples: basta ir até uma agência e fazer sua reserva.

Como cheguei em Milão, aluguei um carro em uma agência que fica no próprio aeroporto. Assim que cheguei já retirei o veículo sem muita burocracia. Em suma, tudo que precisa é ter uma permissão de condutor e um passaporte para confirmar a identidade. 

A carteira de motorista internacional, a PID, deve ser feita ainda no Brasil. Para solicitar a sua basta acessar o site do Detran  e seguir os passos. Existe uma taxa, mas você não precisa ir a nenhum lugar, pois ela chega em sua casa pelo correio. 

Há também a opção de fazer uma tradução juramentada do documento de condução. Mas atenção: a tradução deve ser feita na Itália! 

Uma vez com o carro, dei início a um de meus maiores sonhos: uma road trip pelas estradas italianas. Continue lendo, pois vou contar cada detalhe e vou dar dicas práticas imperdíveis.

As estradas italianas – Road Trip na Itália

road-trip-na-italia

Primeiramente, vamos falar sobre o maior dos benefícios de uma viagem de carro pela Itália: as paisagens. 

Cada região é marcada por horizontes diferentes. Em alguns lugares, o cenário é o mar e seus diferentes tons de azul que marcam o encontro das águas com o céu. Enquanto em outros vemos montanhas e paisagens bucólicas. Há também os campos, áreas planas com paletas de cores que marcam qualquer memória. 

De certa forma, esses cenários inspiram e alimentam o sentimento de liberdade, algo que conforta o coração e me faz sentir vivo. 

Conservação e sinalização

Quando falamos de conservação das estradas, a Itália se torna um exemplo. Embora as autoestradas possuam pedágios, o preço se faz justo pelo estado em que elas se encontram. 

O que quero dizer é que não há buracos e a sinalização é impecável. Além disso, as autoestradas possuem áreas de suporte rodoviário. São pequenas paradas com banheiros, internet e máquinas de lanches e bebidas. 

Pedágios na Itália

Para percorrer as autoestradas italianas você terá que pagar pedágios. O preço varia de acordo com o trecho e as máquinas aceitam pagamentos tanto em cartão, como em espécie. 

Além disso, caso você não fale italiano, você pode selecionar outros idiomas para entender todas as instruções. 

Se tiver qualquer dúvida ou problema, é só pedir atendimento apertando o botão de interfone. 

Abastecimento

Diferente do que estamos acostumados no Brasil, os postos de gasolina na Itália são self-service. Isso quer dizer que quem coloca a gasolina é o usuário, pois os postos não contam com frentistas. 

Ao chegar em uma bomba de gasolina, você terá que selecionar uma forma de pagamento e pagar por um tanque cheio. Uma vez que o pagamento for aprovado, basta selecionar o combustível e abastecer o carro. 

Depois de abastecer, se for o caso, a diferença do valor pago será reembolsada ao cliente.

O mesmo sistema funciona para lavar o carro e calibrar os pneus. Geralmente existe um funcionário no posto, mas ele apenas auxilia em casos de problemas. 

Multas

Mesmo com o código de trânsito similar ao brasileiro, a Itália possui leis específicas. Além disso, a forma de fiscalização pode ser diferente. 

Para evitar multas e suspensões, o melhor a se fazer é informar-se sobre as leis de trânsito italianas. Caso seja parado por um policial, não entre em pânico e siga todas as instruções dadas por ele. 

Mas se você levar uma multa, o documento para pagamento vai chegar no endereço informado na CNH, ou seja, na sua casa no Brasil. Além da multa, você pode ter que arcar com taxas da empresa na qual alugou o carro.

Aqui, a dica é verificar os contratos de locação de veículo para saber se há taxas e quanto elas custarão em caso de multa. No meu caso, havia feito vista grossa e acabei recebendo notificações “surpresa” que não estavam previstas em meu orçamento. 

Durante o meu trajeto, levei três multas. Cada uma delas me custou 55 euros, o que correspondeu à identificação do condutor para que fosse informado às autoridades italianas. 

Abadias da Toscana

Abadia de San Galgano

abadia-san-galgano

Construída entre 1218 e 1288, a Abadia de San Galgano é o monumento mais importante da comuna onde nasceu o santo, Chiusdino. O que vemos hoje são apenas ruínas, mas a construção gótica é fascinante, mesmo deteriorada.  

A abadia ficou conhecida principalmente por abrigar a espada na rocha. Embora o caso seja semelhante ao que vemos na história do Rei Arthur, a espada da abadia não é a Excalibur. Ela foi cravada na rocha por San Galgano, como um símbolo de paz durante um período de guerras. 

Atualmente ela fica na Capela de Montesiepi e pode ser visitada.

Abadia de Sant’Antimo

road-trip-na-italia-abadia

Não muito distante da cidade de Montalcino fica a Abadia de Sant’Antimo dos monges beneditinos. Surpreendente pela arquitetura medieval, o monumento se destaca em meio a paisagem rural.

Reza a lenda que o fundador da abadia foi ninguém menos que Carlos Magno, Imperador Romano, e que ela teria sido construída em 781. 

A estrutura está muito bem conservada e, dependendo da época, você verá um belíssimo jardim que era utilizado como farmácia pelos monges.

Abadia de Monte Oliveto Maggiore

A Abadia de Monte Oliveto Maggiore começou a ser construída em 1320 e foi finalizada em meados de 1523. O responsável pela obra foi Bernardo Tolomei. 

A construção em si tem vários estilos arquitetônicos, o que pode ser explicado pelo longo período em que ela foi construída. 

Só de ser uma abadia na Toscana já esperamos a beleza natural e a tranquilidade. Mas chegar na Abadia de Monte Oliveto Maggiore é mergulhar em uma experiência mística, pois o silêncio só é quebrado pelos cantos gregorianos. 

Muitos peregrinos visitam o local e veem as missas que acontecem por ali. Sem dúvida alguma, um dos lugares mais especiais que já fui. 

Abadia San Salvatore

A Abadia de San Salvatore fica na comuna de Siena e é atravessada pela Via Francigena. Ou seja, o lugar carrega em si uma grande energia mística e recebe milhares de peregrinos o ano todo. 

O monumento marca o lado religioso da cidade que leva o mesmo nome. Por outro lado, a região também é conhecida pela mineração, o que também pode ser um bom motivo para visitar este pedacinho da Toscana. 

Segundo a lenda, a abadia foi construída sob ordem do rei Rachis, bem no local onde ele teve a visão da trindade. Não é por acaso que o brasão de Abadia San Salvatore estampa essa lenda. 

Abadia dei Santi Salvatore e Cirino

A Abadia dei Santi Salvatore e Cirino foi construída em 1001, aos pés de Monteriggioni e a mando de Ava, um homem nobre da família Lambardi di Staggia. O estilo mais presente no monumento é o da arquitetura romanesca, o que a torna encantadora.

Em termos de estrutura, a igreja romanesca tem três naves que conservam obras de arte de imenso valor, como o altar do século XVI feito por Sano di Pietro. 

E aí? As Abadias te fascinaram? Clique aqui para descobrir mais sobre elas!

Castelos do Vale d’Aosta

Castello di Fenis

castelo-fenis

Grande e imponente, o castello di Fenis é um belo exemplo de arquitetura medieval, com destaque para suas torres e muralhas. Ele foi construído em meados do século XIV, a poucos quilômetros de Aosta, e suas torres foram sendo construídas com o tempo, sob ordem de diferentes proprietários. 

As visitas são abertas e o castelo é muito bem preservado. Neste cenário, o que mais se destaca no interior são os afrescos e muros pintados com poemas. Já por fora, o castello di Fenis encanta pelas grandes muralhas protetoras, característica marcante do tempo em que foi construído.

Castelo Gamba 

O Castello Gamba fica em meio a um parque com mais de 50.000 metros quadrados. Logo, podemos dizer que o castelo é um ponto para se aproveitar de uma bela vista de paredes rochosas e admirar as milhares de espécies vegetais presentes no parque. 

Sua construção aconteceu no século XX e suas fortes paredes abrigam, hoje, uma coleção impecável de arte moderna. 

Castelo di Ussel

O Castelo de Ussel ergue-se com um aspecto imponente em um pico no Valle d’Aosta. Foi construído no século XIV, por ordem da poderosa família Challant e é um dos melhores exemplos da arquitetura medieval no vale d’Aosta.

No passado ele já foi utilizado como prisão, mas depois de ser restaurado virou um belíssimo espaço de exposição. Em termos de arquitetura, logo de cara notamos traços militares. 

Castelo Issogne 

Em sua história, o Castelo Issogne pertenceu a diferentes famílias, tendo sido Vittorio Avondo o seu último proprietário. Vittorio renovou o castelo e o doou ao Estado. Logo, o que vemos hoje é uma grande casa bem luxuosa que abrigou reis e famílias importantes. 

O Castelo Issogne está aberto para visitação e vai encantar pelo seu interior bem decorado. Há afrescos e pinturas bonitas, além de uma capela.

Gostou dos castelos do Vale d’Aosta? Clique aqui para descobrir mais sobre eles!

Patrimonios Unesco

A Itália é repleta de monumentos de valor inestimável para a história da humanidade. De certa forma, isso nunca foi um mistério e a Unesco sabe disso. Da extensa lista, a road trip pelo país da bota não poderia deixar alguns deles de fora. 

Abaixo, você verá alguns dos patrimônios reconhecidos pela Unesco que fizeram parte da minha viagem.

Campo dei Miracoli

road-trip-pisa

Um dos lugares mais conhecidos da toscana, sem sombra de dúvidas, é o Campo dei Miracoli, em Pisa. Ali é onde fica a Torre di Pisa, Battistero, Duomo di Santa Maria Assunta, Camposanto e dois museus: delle Sinopie e dell’Opera del Duomo. 

Em geral, o lugar é perfeito para entrar em contato com a arquitetura românica, isso sem falar na história preservada por ali. Afinal, os monumentos presentes na Piazza dei Miracoli foram erguidos entre os séculos XI e XIV, tendo sido protegidos por muros um pouco mais tarde. 

San Gimignano

De longe já é possível entender o valor histórico dessa cidadezinha da Toscana: torres e construções medievais imponentes, muito bem preservadas e restauradas a partir do século XVIV. 

O centro histórico de San Gimignano integra a lista da UNESCO, com destaque para o Duomo, que foi construído no século XII e é lar de um acervo riquíssimo de obras de arte. Há também o Palazzo Podesta, atual sede da prefeitura, que abriga obras de arte. 

Siena

road trip na itália

Essa é uma cidade com origens medievais, o que quer dizer que você verá um centro histórico preservado. Embora a cidade tenha passado por conflitos contra Florença, muito da arquitetura gótica foi preservada através dos séculos. É justamente o que você poderá ver: traços góticos que surgiram entre os séculos XII e XV. 

Pienza

Foi nessa cidade da Toscana que os conceitos de planejamento urbano do Renascimento foram aplicados pela primeira vez, após a decisão tomada pelo papa Pio II em 1459 de transformar sua cidade natal e confiar esse trabalho a Bernardo Rossellino. 

Ele pôs em prática os princípios de seu mestre Leon Battista Alberti e construiu a extraordinária praça Pie-II, em torno da qual fica o palácio Piccolomini, o palácio Borgia e a catedral com um aspecto puramente renascentista, mas cujo interior é inspirado no estilo gótico tardio das igrejas do sul da Alemanha.

Jardim Botânico de Pádua

O primeiro jardim botânico do mundo foi criado em Pádua, em 1545. Incrivelmente, ele ainda preserva sua organização original – um terreno central circular, simbolizando o mundo, cercado por um anel de água. 

Mas outros elementos foram adicionados posteriormente: alguns arquitetônicos (entradas e balaustradas ornamentais) e outros práticos (instalações de bombeamento e estufas). 

Val D’orcia e Siena

vale-d-orcia-road-trip

A paisagem do vale de Orcia faz parte do interior agrícola de Siena, redesenhado e definido durante sua integração no território da cidade nos séculos XIV e XV, de modo a refletir um modelo de boa governança, tudo criando uma imagem esteticamente agradável. 

As qualidades estéticas da paisagem, com suas planícies de giz das quais se erguem colinas quase cônicas, no topo das quais são assentamentos fortificados, inspiraram muitos artistas. 

Ivrea 

A cidade industrial de Ivrea fica na região de Piemonte e foi desenvolvida como campo de teste para a Olivetti, fabricante de máquinas de escrever, calculadoras mecânicas e computadores de escritório. 

Ivrea tem edifícios e uma fábrica projetados para servir a administração e serviços sociais, bem como casas com traços arquitetônicos da época. Em geral, as construções foram planejadores e arquitetos urbanos italianos, principalmente entre as décadas de 1930 e 1960, refletindo as idéias do Movimento Comunitário (Movimento Comunitário). Um projeto social modelo, Ivrea expressa uma visão moderna da relação entre produção industrial e arquitetura.

Clique aqui para ler mais sobre a road trip pelos Patrimônios da Unesco na Itália

Uma grande aventura 

Por fim, fazer uma road trip na Itália foi viver uma grande aventura. Além de entrar em contato com a rica história local, pude experimentar sensações intensas e emoções muito marcantes. 

Diante disso tudo, tive como missão passar o que vi pela frente e encorajar você, leitor, a seguir seus sonhos e descobrir novos lugares. Viajar dessa forma é uma oportunidade muito maior de aproveitar o tempo e conhecer mais lugares. 

Posts Relacionados