Sabão de Marselha – Conheça a Tradição

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Em qualquer viagem pela França você vai cruzar o sabão de Marselha pelas casas, ruas e comércio. Essa especialidade é conhecida pelo mundo todo e possui até museus dedicados à arte da fabricação. 

No artigo de hoje falaremos sobre os sabonetes de Marselha. Vamos descobrir a origem e como eles são feitos até os dias de hoje. 

A origem do sabão de Marselha

Que o sabão de Marselha carrega uma tradição milenar ninguém pode discordar. Afinal, basta andar pelas ruas da cidade mediterrânea para se deparar com milhares de lojas e vendedores ambulantes comercializando o tão conhecido sabão. 

Mas a história dessas barras preciosas teve início na Antiguidade, na região do Mediterrâneo, mais precisamente na cidade de Alepo (que hoje faz parte da Síria). 

No início, os sabões de Marselha eram uma base de sebo, cinzas e gordura de carneiros. A utilização era muito mais doméstica do que para fins de higiene pessoal, por isso a receita original não leva nenhuma essência aromática. 

Com o passar do tempo, durante a Idade Média, o processo de fabricação dos sabões foi consolidado. Nessa época as pessoas já acrescentavam mais ingredientes, visto que as matérias-primas eram abundantes: azeite, sal, hidróxido de sódio ou Soda. 

Talvez seja mera coincidência, mas a região da Provença, onde fica Marselha, foi a escolhida para a fabricação dos sabonetes. 

Mas foi somente no século XVII que Marselha se tornou a única cidade francesa onde os sabões poderiam ser fabricados segundo as normas de Luís XIV. Neste contexto, o processo de fabricação ganhou o nome que possui até hoje: Sabão de Marselha. 

O tempo passou e o sabão de Marselha ganhou a inegável notoriedade que possui até hoje. Inclusive, sem sombra de dúvidas se tornou alvo de falsificações. 

Já com a indústria organizada, Marselha se tornou mais conhecida ainda pelo sabão produzido no território. 

sabao-de-marselha

Dos óleos essenciais às barras — como é produzido o sabão de Marselha 

Se chegou até aqui, deve estar se perguntando: mas o que de fato faz este sabão algo tão especial? 

A seguir, vamos descrever cada uma das etapas da produção do sabão de Marselha. 

Além da qualidade, devemos considerar os longos anos de tradição e o fato de ser um produto regional mundialmente desejado. Ou seja, ele vai muito além de uma simples fórmula química e é resultado de um método de fabricação bem original. 

Maceração

Tudo começa em um grande caldeirão, onde os óleos vegetais são aquecidos até entrarem em ebulição. Aos poucos, forma-se uma espécie de pasta de sabão. 

Cozedura

Em seguida a soda entra em cena. Nessa etapa é importante utilizar bastante soda para auxiliar no processo de saponificação. Quimicamente falando, é quando acontece uma reação com as matérias gordas que não reagiram durante a maceração. 

A mistura deve ficar no fogo a 12°C durante algumas horas. 

Lavagem

Nessa etapa a pasta é lavada com água salinizada por repetidas vezes. O processo elimina a soda, além de separar a glicerina que será retirada em seguida. Em outras palavras, é na fase de lavagem que acontece a delipidação do sabonete (retirada de gorduras).

Liquidificação

Após ter ficado em repouso e ter sido lavada com água pura, a pasta está livre de impurezas e também do excesso de sal. Chega, então, a hora da liquidificação. Buscando deixar o sabão mais fluido, deve-se ajustar um pouco a quantidade de água e controlar a neutralidade da pasta. 

É aqui que o sabonete começa a ganhar forma…

Colagem e secagem

Depois de todas essas etapas químicas, chegou a hora de colocar a pasta ainda quente e fluida sobre moldes, bandejas retangulares e recipientes que garantam a homogeneidade do produto. O sabão deve permanecer em repouso por 48 horas dentro das formas, que é o período para ele endurecer e se tornar o verdadeiro sabão. 

Corte e estampagem

Finalmente, o sabão sólido é cortado em cubos, no formato tradicional, e depois marcado com o símbolo de garantia: 72% de óleo vegetal. 

A porcentagem prova a qualidade do sabão de Marselha e é extremamente importante para que o produto receba este nome.

Além dos tradicionais cubos, ao andar pelas ruas de Marselha você também verá outros formatos de sabão: líquido, barras perfumadas, desenhos personalizados e até mesmo pequenas esculturas. 

Utilizar os sabões de Marselha

Depois de conhecer todo este processo, por que não descobrir os principais usos do sabão de Marselha?

Tradicionalmente, este produto serve para a higiene corporal diária. Desde muito tempo as pessoas utilizam o sabão para tomar banho e lavar as mãos. Além de ser um excelente agente de limpeza, o produto é ecológico e biodegradável. Ou seja, ele não polui o ambiente. 

Mas não são só os banhos cheirosos que tiram os sabonetes das prateleiras. Outras atividades também são feitas com o sabão de Marseille: lavar a casa diariamente, usar na lavanderia e tanques de roupa. 

Por ser biodegradável e natural, o sabão de Marselha é recomendado para quem tem a pele suave. Dessa forma, tanto o banho quanto as roupas estarão adequados para quem tem esse tipo de pele. 

Onde encontrar?

A resposta para essa pergunta parece óbvia, visto que esses sabonetes são produzidos e comercializados em Marselha, na França. 

Dito isso, ao chegar na cidade mediterrânea você vai se deparar com muitas lojas de sabão. Nelas, diferentes formas de venda: unidade, peso, metros e garrafas, por exemplo, vão chamar a sua atenção.

Mas se preferir, pode procurar pela internet e encontrar lojas virtuais que vendam o sabonete de Marselha. Mas claro que não chega perto da experiência de comprá-lo na cidade onde ele foi feito. 

E então, aposto que todo esse processo deu vontade de tomar um bom banho com o sabonete de Marselha, acertei? 

Enquanto isso não acontece, que tal continuar a aprender sobre especialidades francesas? Clique aqui e aprenda mais sobre os vinhos mais famosos do mundo! 

Posts Relacionados