Pucón – A deslumbrante subida ao vulcão Villarica!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Pucón – A deslumbrante subida ao Vulcão Villarica

O Vulcão:

Um dos grandes atrativos da cidade de Pucón, seja no inverno ou verão, é a subida ao Vulcão Villarica. O Vulcão Villarica está situado na Cordilheira dos Andes e seu cume está a pouco mais de 2800 mts de altitude. Este vulcão é o mais ativo do Chile e às vezes é fácil observar uma fumacinha saindo de seu cume. É claro que no inverno devido ao alto volume de chuvas, o sucesso do turista em chegar ao cume pode ser comprometido. Muitos turistas, inclusive, escolhem a bela cidade de Pucón por causa dessa vibrante aventura. Embora seja uma subida que exija o mínimo de condicionamento físico, não necessita de conhecimentos em alpinismo.

Pucón
Subida Vulcão Villarica
Pucón
Subida Vulcão Villarica

Varias agências oferecem este serviço e é muito importante que se faça uma escolha por agências confiáveis. Que a empresa tenha pessoal treinado e material de alta qualidade. No caso escolhemos a agência Patagônia. Pra quem já ouviu falar e sabe qual agência é essa, podem me perguntar: Esta não foi a mesma agência que levava o grupo do brasileiro Felipe Santos que morreu em março de 2012. Minha resposta é sim. Porém, em vários locais, inclusive em nosso hostel, nos disseram que apesar do ocorrido, é uma agência muito séria e com excelente equipamento. Encaramos!

Custo da Subida ao Vulcão: CLP 40.000,00.

A saída da expedição é as 6h da madrugada para o deslocamento até a base do vulcão. Para os mais condicionados e “pão-duros”, existe a possibilidade da parte inicial da subida ser feita por um teleférico. Na ocasião não foi possível porque estava fechado. Geralmente, a expedição leva em torno de 8 horas, mas, é claro, que pode variar dependendo do condicionamento físico de cada pessoa ou do grupo.

Subida Vulcão Villarica

A primeira parte da subida é somente com as botas (sem os grampos) e não é tão difícil. À medida que o gelo glacial vai sendo presença constante sob os nossos pés, há necessidade de colocar os grampos para seguir a caminhada.

É comum durante a subida haver a formação de uma trilha indiana devido ao número de pessoas que sobem  e também a formação de um rastro no gelo.

Chega-se ao cume entre 4 e 5 horas e a descida é feito em “esqui-bunda”. Essa descida é também muito divertida e a velocidade pode passar dos 50 km/h. Vale a subida e a descida!!! Recomendo!!!

Veja mais sobre Pucón:

Aventura em lindos arredores

Muitas paisagens, clima bucólico e muito carisma

Quer saber mais sobre nossa viagem ao Chile 10 dias? Leia nossos outros posts:

Frutillar – Cidade que respira música e cultura

Puerto Varas – Brisa constante que parece vir do vulcão

Santiago – Bela cidade com maravilhoso postal de fundo.

Santiago – Hospedagem, ski, compras e dicas complementares

Vaparaíso – Região portuária e de grande importância econômica

Viña del Mar – O mar banhado por flores

Mais fotos da nossa subida do Vulcão Villarica:

Posts Relacionados