Se andar pelas ruas de Berlin, verá como o Graffiti e a arte de rua, ou street art, estão presentes na paisagem local. Não foi a toa que um dos prefeitos definiu a cidade como “pobre e sexy”, descrevendo perfeitamente a relação com as formas de expressão. 

Em Berlin, Graffiti e arte de rua não são vistos como arte de gangues desregradas. Mas sim como uma forma de expressão e um componente importante da cena underground berlinense.

De fato, são elementos que definem a cultura underground, da cidade, contribuindo com a criatividade e modernidade únicas, que inclusive definem a capital alemã. 

Carro Estacionado em Kreuzberg. Foto: Túlio Moura

Berlim, em muitos aspectos ao longo da história, teve uma tendência alternativa e pouco convencional de rebelião e emancipação, e mostra em seu ambiente de arte urbana que é muitas vezes instigante e político. 

Muitos artistas de rua são atraídos para Berlim; eles moram ali ou viajam para deixar suas marcas.

Neste post, faremos uma breve introdução pela arte de rua berlinense. Você pode usar esta postagem como um roteiro alternativo, algo além dos muros e memórias vivas da Segunda Guerra.

Vale lembrar que a arte de rua berlinense é, na verdade, arte de rua mundial. Os murais se apagam e se refazem, são complementados por outros artistas e emanam vida.

Arte de rua em Berlim: Placa de madeira com escritos: Floraissance - do you really think contemporary art is forever?
Placa encontrada em Kreuzberg. Foto: Túlio Moura

DircksenStraße 

Esta rua passa ao longo do viaduto ferroviário elevado, que liga Alexanderplatz e Hackescher Markt em Mitte, e é repleta de street art.

Você encontrará principalmente colagens nas paredes e pedras de tijolos. Dircksenstraße é um dos principais locais para se ver a arte de rua de Berlim. 

As colagens são técnicas que utilizam um tipo de cola feita com farinha para fixar pedaços de papel nas paredes.

Lucy Cat em Berlim

Lucy Cat, de El Bocho: O artista de rua El Bocho iniciou seus projetos de arte de rua em 1997. Ele trabalhou como ilustrador para o jornal Frankfurter Allgemeine e agora chama Berlim de casa. 

Little Lucy – personagem de um programa de TV – fica satirizada e retratada em suas muitas tentativas de matar seu gato – seja cozinhando, esfaqueando ou afogando o animalzinho, como na imagem.

Número 6: São simples algarismos que foram pintados por um artista, em sua bicicleta, com sprays e pincéis. Apesar de simples, os números 6 estão espalhados por toda a cidade. 

Haus Schwarzenberg

Escondido em um pátio, ao lado do sofisticado Hackesche Höfe, o Haus Schwarzenberg é uma organização sem fins lucrativos que promove um espaço criativo e realista para a arte de rua alternativa. 

Entre no pátio pela Rosenthaler Straße. Se o cinema do café está à sua esquerda, então você encontrou o beco correto.

O pátio abriga um café, um cinema independente e alguns museus e exposições. Artistas como El Bocho e Stinkfish deixaram seus vestígios no beco, e você também encontrará esculturas de metal bem peculiares. 

A imagem tem tons de cores em neon, além de um antigo dispositivo de papeis.
Haus Schwarzenberg – Berlin. Foto: Túlio Moura

Stinkfish: Dentro do Haus Schwarzenberg, o artista Stinkfish pintou um rosto colorido e intrigante que é bem conhecido em fotografias. Stinkfish é um artista nascido no México, mascriado em Bogotá, Colômbia.

Murais em Kreuzberg

A cena da arte de rua de Kreuzberg reflete a vibração alternativa deste bairro de Berlim.

Kreuzberg não é apenas o lar de uma população diversa de imigrantes, mas também abriga o movimento punk e outras subculturas alternativas. Talvez essa seja a origem de tanta arte com mensagens políticas.

Um bom ponto de partida é a estação de trem U Kottbußer Tor. Caminhe para o leste, pela Skalitzer Straße e vire na primeira à esquerda, na Mariannenstraße.

Meio quarteirão, à sua direita, você pode ver o Astronaut, uma pintura de 14 x 22 metros na parede do prédio, feita pelo artista francês Victor Ash. Ash mora em Copenhague e é um artista de rua ativo desde os anos 80.

Mural em Kreuzberg. Foto: Túlio Moura

Vire à direita, na Oranienstraße, e siga até a Skalitzer Straße. No prédio à sua esquerda, está o mural de ROA, um artista de rua da Bélgica, que mostra um cervo, um pássaro e uma lebre pendurados na parede.

A arte de ROA muitas vezes retrata animais urbanos. Ele tem obras por todo o mundo, incluindo os EUA e a Austrália.

Continue andando na Skalitzer Straße e vire à direita na Oppelner Straße. No lado do passeio, você encontrará o mural de Os Gemeos. Os artistas são os gêmeos idênticos Otávio e Gustavo Pandolfo, brasileiros.

Eles são conhecidos por pintar figuras de rosto amarelo, que aparentemente ambos continuam vendo em seus sonhos. Eles começaram como breakdancers, e mais tarde, foram influenciados pela cena de hip-hop de Nova York.

Seguindo o roteiro, ande pela Oppelner Straße e Oberbaumstraße, em direção ao rio. No lado direito de Oberbaumbrücke, no rio, você encontrará mais um mural. Este retrata um homem de cor rosada que, se olhar de perto, é feito de várias outras figuras compiladas em um grande rosto.

A obra foi pintada pelo artista de rua Blu e é chamada de Backjump. Blu é um artista italiano que começou sua arte de rua em 1999, como pintor de spray. Ele viajou pelo mundo, incluindo a América do Sul.

Kreuzberg é uma das vizinhanças onde a street art domina. Se quiser ter uma ideia da vida alternativa em Berlin, essa será uma parada obrigatória!

Friedrichshain 

Embora a região tenha passado por muitas mudanças, a cena alternativa de Friedrichshain ainda é muito ativa. Friedrichshain ainda é o lugar onde você pode encontrar a maioria dos grafites e etiquetas nas paredes, canos d’água e portas de entrada das casas. 

Se você andar pelas ruas, por exemplo Revaler Straße, Dirschauer Straße, Niederbarnimstraße e Boxhagener Straße, você encontrará stencils e colagens de famosos artistas de rua berlinenses, como Alias, Xooox e Mein Lieber Prost.

Dica: se você observar as placas de rua, poderá ver um pequeno boneco de cortiça fazendo poses de yoga. Este adorável personagem se chama cork yogi e foi feito pelo professor Josef Foos. Embora sejam mais presentes em Friedrichshain, os pequenos yogi podem ser vistos por toda a cidade. 

East Side Gallery

Por último, mas longe de ser menos importante, está uma das coleções mais conhecidas de Berlin: a East Side Gallery. Trata-se de um trecho de pouco mais de 1 km de muro, que passa às margens do rio Spree, entre Oberbaumbrücke e Ostbahnhof. 

East Side Gallery – Berlim. Foto: Túlio Moura

Essa galeria celebra a separação entre as duas cidades, Berlin do leste e Berlin do oeste, e é inteiramente coberta com grafite. As obras foram pintadas por artistas de 21 países diferentes e possuem mensagens políticas sobre o progresso na Alemanha e no mundo todo. 

Conclusão

Ao contrário de muitos lugares, Berlin soube abraçar a expressão de seu próprio povo e transformar tudo isso em marca da cidade. Basta uma visita, e sua concepção de arte, política, urbanismo e até de vida sofrerão um grande impacto. 

Conhece alguma obra ou artista de rua que não estão nesse texto? Conte pra gente nos comentários! 

Leave a Reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

POSTS RELACIONADOS

RETRIP